Instituto Maternittà - Psicanálise, Parentalidade, Perinatalidade e Maternidade

Grupo no WhatsApp: Lançamento – O Bebê Prematuro: Psiquismo e Intervenções

Por que Psicanálise? Uma escolha (in)consciente

Por que Psicanálise? Uma escolha (in)consciente

Em meio a tantas técnicas dos dias de hoje, por que se utilizar de uma que surgiu antes de 1900? Sim, muito embora o texto freudiano ” A Intepretação dos Sonhos” de 1900 seja o texto inaugural da Psicanálise, Freud já havia escrito outros antes, como o maravilhoso texto de 1985 ” Projeto para uma Psicologia Científica”.

Vou dar-lhe diversas razões do porquê sou psicanalista. Como psicóloga, eu posso me aprofundar nas mais diversas formas de olhar para as dores humanas, como a TCC (terapia cognitivo-comportamental); como o Humanismo; como a Análise do Comportamento. Entretanto, resolvi não escolher nenhuma abordagem da Psicologia, mas sim a Psicanálise – que não é uma abordagem da Psicologia – e reconhecida pelo CFP (Conselho Federal de Psicologia).

Primeira razão que me fez olhar para a Psicanálise: minha análise pessoal. Deparar-me com as razões inconscientes de minhas escolhas e comportamentos, conseguir um novo reposicionamento frente ao mundo e frente a mim mesma, sem ceder DO meu desejo foram aspectos fundamentais.

Em segundo lugar, sou bastante reflexiva e questionadora. Questiono a dita “ciência atual”, que tantos dizem “cientificamente comprovado”. O que será que é isso? Vou perguntar de outra maneira: de que ciência estamos falando?

Você sabia que há mais de um paradigma científico e que esse em que massivamente vivemos hoje (da medicina e das mais diversas técnicas aplicadas em formato coletivo) não é o único que existe?

Então, quando escuto “comprovado cientificamente” na hora me questiono: “sob qual paradigma científico? Esse positivista, que exclui o UM, o Singular, o Individual?”

Por que não considerarmos também as outras formas de fazer ciência como o Paradigma Qualitativo, por exemplo, das Ciências Humanas e Sociais. Afinal, como seres-humanos, somos multifacetados, somos muito mais complexos que outros mamíferos, que computadores e afins.

Quer ver um exemplo?

Quem nunca se deparou com um sintoma orgânico que não tinha explicação médica? Com uma doença que, mesmo “havendo tratamento médico”, este remédio não resolve?

Você já ouviu falar da gravidez silenciosa? Essa em que uma mulher se descobre grávida quando seu bebê está nascendo? Pois é, isso é muito mais frequente que você imagina.

Você já se deparou com uma mulher que acabou de ganhar seu bebê, que o desejou muito, apresentar uma recusa a ele quando nasce, sem explicação aparente?

Já observou os pensamento intrusivos que temos? Porque estes e não outros?

Sabia ainda que as Neurociências comprovam a Psicanálise e que ambas se tocam? (papo para outro texto).

Sabia que a Psicanálise é científica? Mas porta um saber científico qualitativo, que considera sua singularidade, sua história e subjetividade? Ela irá escutar o que há de único em você e trabalhará isso de forma exclusiva, e não com técnicas coletivas que não funcionam para todos?

Bem, essas são só algumas das razões pelas quais sou Psicanalista. Se for listar todas, ficarei aqui até Séc. XXX.

Assista, depois me conta o que pensou sobre o início da Psicanálise.

Texto escrito por Karina Stagliano de Campos – Psicóloga – CRP 08/17163

Compartilhe:

Leia Também:

plugins premium WordPress

Atendimento via WhatsApp

Atendimento de Seg a Sex, das 09h às 18h