Post

A Crise de Desenvolvimento dos Bebês

Tudo está indo muito bem, mas de repente seu bebê para de mamar direito, não dorme bem, acorda chorando, não quer ficar no carrinho nem no berço, fica irritado e choroso durante o dia, e aparentemente não tem nenhuma doença.

Pode ser que uma das crises do desenvolvimento esteja acontecendo com ele. Vamos entender o que é esse fenômeno que não é regra, mas pode acontecer em algumas fases durante o primeiro ano de vida.

Se o seu bebê já está perto de completar três meses, é certo que vocês já passaram pela fase de adaptação das primeiras semanas, já devem ter vivido uns dias (e noites!) com as famosas cólicas e até já devem ter comemorado o primeiro sorrisinho! Seu bebê está mais esperto a cada dia e apesar da dependência absoluta, ele está se desenvolvendo rapidamente. Essa fase de dependência absoluta do bebê e de total dedicação da mãe ou puericultores (cuidadores de crianças) que caracterizam o primeiro trimestre de vida é chamada de fase simbiótica.

Como o próprio nome diz, mãe e filho são simbióticos nesse período, como se fossem um só, pois o bebê não tem consciência de que ele é um ser separado de sua mãe. Mas um belo dia o bebê começa a “enxergar” o rosto de sua mãe e a encara nos olhos enquanto mama, no outro sorri para ela, depois começa a imitar caretas que os adultos fazem para ele e finalmente começa a perceber que quando sente algum incômodo como frio, calor, fome, insegurança ou sono precisa daquela pessoa para satisfazê-lo. Essa descoberta faz com o que o bebê tenha uma certa noção de que sem aquele rosto conhecido por perto, ele corre o risco de não ter suas necessidades supridas e isso pode causar grande ansiedade nele.

Essa é a primeira crise do desenvolvimento que ocorre quando o bebê percebe-se separado da mãe, mais ou menos aos três meses.

Como identificar a crise simbiótica

Os sintomas são os mesmos que muitos desconfortos podem causar, por isso é bom checar tudo antes de desconfiar da crise. Mas se se seu bebê não tem assaduras, machucados, resfriados, refluxo, cólicas ou febre, pode ser que esteja vivenciando sua primeira crise do desenvolvimento.

Os sintomas incluem dificuldade para dormir, sono picado, falta de apetite, recusa do peito, choro, irritabilidade, agitação, desconforto em todos os lugares e posições.

É importante levar o bebê ao pediatra para descartar qualquer doença. Em geral essas alterações duram duas semanas e não há medicação para isso, apenas paciência, carinho e consciência de que vai passar dentro de alguns dias.

Conheça as outras crises de desenvolvimento do bebê

Segundo o pediatra Leonardo Posternak, os pais não devem confundir o nascimento dos dentinhos de leite com a crise de separação. Ambas podem coincidir e os desconfortos causados pela dentição podem aumentar os sintomas dessa crise.

O que os pais devem saber, é que essas crises não devem ser nem supervalorizadas e nem negadas. Ou seja, não force seu bebê a andar porque você identificou a crise de independência nele! Ele precisa de tempo para que seu cérebro aprenda a administrar os comandos e seus músculos precisam estar prontos para os movimentos. Mas não ignore que os sintomas desagradáveis e alterações de comportamento estão acontecendo.

Dê atenção, carinho e aconchego nesses momentos mais difíceis, eles irão passar, pois todas essas alterações são uma preparação para o bebê passar para a próxima etapa de desenvolvimento. “Seu bebê precisa passar por essa crise para poder crescer”, explica o pediatra.

5 / 14